OLIMPÍADAS DO JAPÃO 2020- ISA e WSL firmam acordo para unir forças para os Jogos Olímpicos em Tóquio

por Redação de Olho no Mar / 04/01/2018

Em princípio, o acordo prevê que dezoito das quarenta vagas nos Jogos Olímpicos serão reservados para os surfistas profissionais da elite dos top-34 do CT, sendo dez homens e oito mulheres.

Califórnia, Estados Unidos (dezembro de 2017) – A International Surfing Association (ISA) anunciou um acordo com a World Surf League sobre como será a qualificação para o surfe nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, garantindo a participação dos melhores surfistas do mundo que disputam o WSL Championship Tour, bem como promover oportunidades para surfistas de todo o mundo terem chances de participar também das seletivas.

Gabriel Medina (Foto: Poullenot – WSL)

Em princípio, o acordo prevê que dezoito das quarenta vagas nos Jogos Olímpicos serão reservados para os surfistas profissionais da elite dos top-34 do CT, sendo dez homens e oito mulheres. As outras 22 vagas serão determinadas no ISA World Surfing Games de 2019 e 2020 e pelos Jogos Panamericanos de 2019 em Lima, no Peru. Além disso, o país anfitrião, neste caso o Japão, terão direito a uma vaga na categoria masculina e uma na feminina.

Com o apoio da WSL, as regras de elegibilidade da ISA para as Olimpíadas, exigirão que os surfistas do CT se disponibilizem para competir com os times dos seus países no ISA World Surfing Games de 2019 e 2020. Todos precisam se classificar pelas federações nacionais para poderem representar seus países na disputa por medalhas nos Jogos de Tóquio.

A decisão final sobre todo o processo de seleção está sujeita à aprovação da Diretoria Executiva do Comitê Olímpico Internacional (COI), em sua reunião que será realizada em fevereiro de 2018.

O acordo entre a ISA e a WSL reforça o compromisso das duas entidades para que a estreia do surfe nas Olimpíadas seja bem-sucedida, mostrando uma forte colaboração entre uma Federação Olímpica Internacional reconhecida pelo COI e a casa dos melhores surfistas profissionais do mundo.

O surfe foi confirmado como um esporte olímpico para Tóquio 2020 em agosto de 2016, após décadas de campanha da ISA para o desenvolvimento global do esporte das ondas. O surfe também será incluído nos Jogos Panamericanos de 2019 em Lima, no Peru. Esta campanha foi impulsionada pela melhoria contínua do surfe de alto desempenho, com atenção geral do WSL Championship Tour.

O presidente da ISA, Fernando Aguerre, disse:

“Estamos felizes em chegar a este acordo histórico com a WSL sobre a participação de suas principais estrelas nos Jogos Olímpicos e no ISA World Surfing Games. O suporte, endosso e colaboração da WSL e dos seus melhores surfistas profissionais, sempre foi uma parte importante do nosso caminho olímpico para Tóquio 2020 e para os próximos Jogos”.

“Este acordo não só sublinha nosso compromisso de ter os melhores surfistas do mundo que competirão pela medalha de ouro na estreia do surfe em Tóquio, mas também para garantir que as competições reflitam o acesso aberto para todos e a universalidade do nosso esporte ao redor do planeta, nos cinco continentes”.

 “Estamos também muito satisfeitos por ter o apoio total e o compromisso da WSL com o ISA World Surfing Games entre agora e 2020. A participação dos melhores profissionais nos times nacionais, elevará o nível do surfe a novas alturas, criando mais emoção e drama nas qualificatórias para os Jogos Olímpicos”.

A CEO da WSL, Sophie Goldschmidt, disse:

“As Olimpíadas oferecem uma plataforma incrível para qualquer modalidade esportiva e o surfe pode se beneficiar com esta grande oportunidade em 2020. É essencial que possamos aproveitar ao máximo essa oportunidade e a participação dos melhores surfistas do mundo do Championship Tour é fundamental para isso. Foi ótimo que a ISA e a WSL, em reuniões com os próprios atletas, puderam chegar a um acordo sobre o processo de qualificação para 2020. Estamos ansiosos para sempre melhorar essa parceria, à medida que nos aproximamos desta fantástica oportunidade do surfe fazer parte dos Jogos Olímpicos”.

O surfista do WSL CT e representante dos atletas, Adrian Buchan, aprovou:

“O surfe tem a capacidade de revigorar os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Os atletas estão entusiasmados em mostrar suas habilidades na maior competição esportiva do mundo e pela oportunidade do surfe ser reconhecido como um esporte verdadeiramente profissional”.

A surfista do WSL CT e representante das atletas, Sage Erickson, concordou:

“Foi ótimo que a WSL e a ISA chegaram a um acordo sobre o caminho de qualificação para as Olimpíadas de 2020. É uma grande oportunidade para o nosso esporte e precisamos aproveitar ao máximo. Apresentar o esporte com os melhores surfistas do mundo, nas melhores ondas possíveis, é algo em que estamos todos de acordo”.

SOBRE A INTERNATIONAL SURFING ASSOCIATION – A ISA foi fundada em 1964 e é reconhecida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) como a autoridade governamental mundial do surfe. A ISA promove competições de Pranchinha, Longboard, Bodyboard, StandUp Paddle (SUP), Bodysurfing, Wakesurfing e todas as outras modalidades praticadas em qualquer tipo de onda ou em águas planas usando pranchas. A ISA coroou seus primeiros campeões mundiais masculino e feminino em 1964, o primeiro campeão mundial de ondas grandes em 1965, campeão mundial junior em 1980, os campeões mundiais de Kneeboard em 1982, os campeões mundiais de Longboard e Bodyboard em 1988, os campeões mundiais de Tandem Surfing em 2006, os campeões mundiais da categorias Master em 2007 e do StandUp Paddle e Paddleboard em 2012.

A ISA tem participação nos órgãos governamentais de 103 países nos cinco continentes. Sua sede está localizada em La Jolla, Califórnia. A entidade é presidida pelo argentino Fernando Aguerre, que foi eleito pela primeira vez em 1994 no Rio de Janeiro. Os quatro vice-presidentes da ISA são Karín Sierralta (PER), Kirsty Coventry (ZIM, Casper Steinfath (DEN) e Barbara Kendall (NZL).

Contato da ISA:

Sujit Jasani – VERO Comunicações

sjasani@verocom.co.uk

+44 (0) 7940-375-282

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Grant Baker, Phil Rajzman, Tory Gilkerson, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager

(48) 999-882-986 – jcarvalho@worldsurfleague.com

Versão do texto em inglês divulgado pela WSL