G-LAND, Banyuwangi, Indonésia (Quinta-feira, 2 de junho) – Após quatro dias sem competição por causa do vento maral na ilha de Java, a sexta etapa do World Surf League Championship Tour retornou na quinta-feira, com a repescagem do ROXY Pro G-Land. A do Quiksilver Pro G-Land, com Filipe Toledo defendendo a liderança do ranking contra Yago Dora na primeira bateria, foi adiada mais uma vez. Para eles, a próxima chamada será as 7h15 da sexta-feira na Indonésia, 21h15 da quinta-feira no Brasil, com transmissão ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e pelo Globoplay Sportv.

Os resultados das baterias disputadas nas ondas pequenas de 2-3 pés da quinta-feira em Grajagan Bay, definiram as últimas classificadas para as quartas de final do ROXY Pro G-Land. A primeira não aconteceu, porque a bicampeã mundial Tyler Wright testou positivo para Covid-19 na segunda-feira e foi retirada da competição, seguindo os Protocolos de Saúde e Segurança utilizados pela World Surf League. Com isso, a também australiana Bronte Macaulay avançou sem precisar competir.

Johanne Defay (Foto: Ed Sloane/World Surf League)

Quem ganhou a primeira bateria da quinta-feira foi Johanne Defay. A francesa fez os recordes do dia, nota 7,30 e 13,97 pontos, contra a norte-americana Courtney Conlogue. Depois, Sally Fitzgibbons venceu o duelo australiano com a campeã do Margaret River ProIsabella Nichols, com a americana Lakey Peterson batendo a vice-campeã desta última etapa da Austrália, Gabriela Bryan, do Havaí.

Lakey Peterson será a adversária da Tatiana Weston-Webb na segunda quarta de final do ROXY Pro G-Land. A brasileira já derrotou a californiana e a australiana Tyler Wright na Indonésia, na primeira fase realizada no sábado em Grajagan Bay, ou G-Land. Antes, as duas tinham se enfrentado em duas decisões de títulos. Lakey ganhou a final do Margaret River Pro de 2019 e a brasileira deu o troco, vencendo o MEO Pro Portugal esse ano em Supertubos.

O placar entre elas em baterias do CT, está em 10 a 7 para a norte-americana. A atual vice-campeã mundial, Tatiana Weston-Webb, chegou na Indonésia em décimo lugar no ranking e precisa de um bom resultado para entrar na briga direta pelas vagas entre as top-5, que vão decidir o título mundial no Rip Curl WSL Finals, em setembro na Califórnia. A partir de agora, os resultados de todas as cinco etapas serão computados no ranking.

Tatiana participou da Expression Session na quinta-feira (Foto: Ed Sloane/World Surf League)

Se a brasileira conseguir diminuir a desvantagem no confronto direto com Lakey Peterson em baterias do CT, vai enfrentar a vencedora do duelo da pentacampeã mundial, Carissa Moore, com Sally Fitzgibbons, que vai abrir as quartas de final do ROXY Pro G-Land. Na chave de baixo, que definirá a segunda finalista, tem a líder do ranking, Brisa Hennessy, da Costa Rica, com Bronte Macaulay na terceira bateria e a última será entre Johanne Defay e a heptacampeã mundial, Stephanie Gilmore.

BRASIL NA REPESCAGEM – Agora falta realizar a repescagem masculina, valendo oito vagas para completar as oitavas de final do Quiksilver Pro G-Land. Cinco brasileiros que não conseguiram vencer suas baterias na primeira fase, vão tentar aproveitar a segunda chance de classificação. E o primeiro confronto eliminatório desta sexta etapa do CT 2022, será 100% brasileiro, entre Filipe Toledo e Yago Dora, ou seja, somente um poderá avançar.

Enquanto Filipe veste a lycra amarela de número 1 do ranking da World Surf League pela segunda etapa seguida, Yago está voltando a competir depois da cirurgia no pé no final do ano passado. Filipe venceu a Expression Session com pranchas antigas, realizada após a repescagem feminina na quinta-feira, junto com Carissa Moore, que foi a melhor entre as mulheres. Ele surfou com uma “single fin” do Terry Fitzgerald e a havaiana escolheu uma réplica da original “Simon Anderson Thruster”.

Carissa Moore e Filipe Toledo (Foto: Matt Dunbar/World Surf League)

Filipe Yago vem vivendo a expectativa das várias chamadas realizadas durante os cinco últimos dias. Na quinta-feira não foi diferente, com a primeira acontecendo as 7h00 da manhã na Indonésia, 21h00 da quarta-feira no Brasil, depois as 8h30 e a terceira as 12h00, quando foi anunciado o quinto adiamento da repescagem masculina e a realização da segunda fase do ROXY Pro G-Land.

Logo após o duelo do atual vice-campeão mundial, Filipe Toledo, com Yago Dora, tem outro brasileiro na segunda bateria, Caio Ibelli, contra o sul-africano Matthew McGillivray. O potiguar Jadson André entra na quinta com o havaiano Barron Mamiya. Na disputa seguinte, o novato na seleção brasileira deste ano, Samuel Pupo, enfrenta Kelly Slater. O onze vezes campeão mundial é o único que competiu 25 anos atrás no Quiksilver Pro G-Land e ganhou a primeira das três edições, realizadas em 1995, 1996 e 1997.

PRÓXIMAS BATERIAS DO QUIKSILVER/ROXY PRO G-LAND

SEGUNDA FASE – 17.o lugar com US$ 12.125 e 1.330 pontos:
1.a: Filipe Toledo (BRA) x Yago Dora (BRA)
2.a: Caio Ibelli (BRA) x Matthew McGillivray (AFR)
3.a: Kanoa Igarashi (JPN) x Jackson Baker (AUS)
4.a: Jordy Smith (AFR) x Connor O´Leary (AUS)
5.a: Barron Mamiya (HAV) x Jadson André (BRA)
6.a: Kelly Slater (EUA) x Samuel Pupo (BRA)
7.a: Callum Robson (AUS) x Jake Marshall (EUA)
8.a: Kolohe Andino (EUA) x Nat Young (EUA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 20.000 e 4.745 pontos:
1.a: Carissa Moore (HAV) x Sally Fitzgibbons (AUS)
2.a: Lakey Peterson (EUA) x Tatiana Weston-Webb (BRA)
3.a: Brisa Hennessy (CRI) x Bronte Macaulay (AUS)
4.a: Johanne Defay (FRA) x Stephanie Gilmore (AUS)

RESULTADOS DO ROXY PRO G-LAND NA QUINTA-FEIRA:

SEGUNDA FASE – 9.o lugar com US$ 13.500 e 2.610 pontos:
1.a: Bronte Macaulay (AUS) x w.o Tyler Wright (AUS)
2.a: Johanne Defay (FRA) 13,97 x 10,13 Courtney Conlogue (EUA)
3.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 11,83 x 7,67 Isabella Nichols (AUS)
4.a: Lakey Peterson (EUA) 12,43 x 10,83 Gabriela Bryan (HAV)

TRANSMISSÃO AO VIVO – O Quiksilver/ROXY Pro G-Land começou no sábado e tem prazo até 6 de junho para ser encerrado na Indonésia. O evento está sendo transmitido ao vivo pelo Globoplay e pelo WorldSurfLeague.com e canal do YouTube e Aplicativo da WSL. Para os fãs do Brasil, a transmissão pelo YouTube é interrompida quando começarem as quartas de final e continua apenas pelo canal SporTV e WorldSurfLeague.com. A próxima chamada será as 7h15 da sexta-feira na Indonésia, 21h15 da quinta-feira no Brasil.

COVID-19 – A saúde e segurança dos atletas, staff e da comunidade local, são de extrema importância para a World Surf League, que trabalha em estreita colaboração com as autoridades de saúde locais, para implementar um robusto protocolo de segurança para todos, em relação ao Covid-19.

—————————————————–

João Carvalho – WSL Latin America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

Gabriel Gontijo – WSL Latin America Communications – ggontijo@worldsurfleague.com


SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo.

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System.

A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com